Cerveja não engorda – provam os cientistas

 

Cerveja não te faz ganhar peso excessivo, a "barriga" de cerveja é um mito, alegaram cientistas britânicos na publicação dos resultados de uma pesquisa no início deste mês.


Um grupo de pesquisadores britânicos e checos realizou um experimento que abrangeu mais de 2.000 amantes da cerveja checos (de acordo com as estatísticas, a República Checa tem o maior consumo per capita anual de cerveja). Não foi estabelecida ligação entre a quantidade de cerveja consumida e os volumes da cintura dos participantes. Os cientistas chegaram à conclusão de que a relação causa-efeito entre a cerveja e a obesidade é fundamentalmente errada.

Os participantes foram homens e mulheres de 25 a 64 anos selecionados aleatoriamente ou eram absolutos abstêmios ou bebiam apenas cerveja. A pesquisa mostrou que os homens checos consomem em média 3,1 litros de cerveja por semana, enquanto que as mulheres pararam em moderados 0,3 litros por semana. Porém, foi descoberto um número de viciados em álcool (alcoólatras) entre os participantes: cerca de 3% dos homens bebiam mais de 14 litros de cerveja por semana, e 5 mulheres declararam poder beber até 7 litros durante o mesmo período.


Após o questionamento, os participantes passaram por um exame médico: foram estabelecidos o seu peso, medidas da cintura e quadris, bem como foi calculado o seu índice de massa corporal. Todos esses indicadores são necessários para estabelecer o grau de obesidade.


Após ter processado os resultados, os pesquisadores afirmaram que não encontraram uma ligação entre a quantidade de cerveja geralmente consumida pelos participantes e a obesidade, assim como observaram que o desenvolvimento de uma "barriga de cerveja" não é o resultado de beber a bebida espumante.


"Existe uma opinião banal de que os amantes de cerveja são sempre mais corpulentos que aqueles que não bebem de todo ou preferem vinho ou outras bebidas alcoólicas fortes. Este equívoco é refletido na expressão ‘barriga de cerveja’,” que os cientistas mantêm.


Em outro estudo publicado no início deste ano, pesquisadores italianos afirmam que a inclinação para desenvolver a chamada "barriga de cerveja" é geneticamente determinada.


Entretanto, não se apresse em beber tanto quanto possível após a leitura deste artigo.


Quantidades demasiadamente grandes entorpecem o seu senso de paladar e desaparece a possibilidade de usufruir plenamente a sua cerveja preferida.


E lembre-se: os nutricionistas alertam que qualquer produto consumido em quantidades excessivas pode levar ao excesso de peso.


Fonte: BelgianShop WeekLetter 1367 - 26/11/2008

Traduzido e Adaptado por Matthias R. Reinold