Diabetes e bebida alcoólica: cerveja pode?

O Diabetes X bebida alcoólica

Mais um fim de semana chegou e com ele, aqueles eventos que costumam vir acompanhados de comidas, doces, bebidas e que frequentemente nos fazem ouvir “Mas você tem diabetes, não pode comer ou beber isso!”. E lá vamos nós explicar toda aquela ladainha de novo. Vida de diabético é assim.

E o que dizer do mês de dezembro com tantas confraternizações? Haja força de vontade!

Mas, ao contrário do que aquela sua vizinha diz, pessoas com diabetes podem sim beber e comer várias coisas gostosas!

Como já falei algumas vezes por aqui, tudo precisa ser feito com moderação, e a glicemia agradece.

E o que dizer de uma das bebidas preferidas da nossa terra?

Os diabéticos amantes da cerveja puderam festejar quando,  no final de 2011,  uma pesquisa espanhola revelou que a cerveja possui componentes benéficos no combate à doença. A bebida sempre foi tratada com cautela por possuir uma grande quantidade de carboidratos e por isso era considerada inadequada aos diabéticos.

Mais recentemente outro estudo revelou que a cerveja pode ser uma aliada no tratamento! Foi publicado em alguns sites e, aproveitando nossa sexta feira, que tal saber quais são esses benefícios?

Um estudo espanhol revelou que certos componentes da cerveja podem ajudar no controle da glicemia e na prevenção de inflamações – e que, no fundo, a cerveja era tão boa quanto o vinho para a saúde no geral.

Este estudo foi publicado em uma edição da revista Veja, onde se dizia que a cerveja foi elevada a status de vinho em função do estudo, já que foi comprovada que (claro, em doses moderadas) pode evitar ganho de peso e prevenir a hipertensão.  Além de ter graduação alcoólica baixa, a cerveja contém ainda ácido fólico, vitaminas, ferro e cálcio – nutrientes que protegem o sistema cardiovascular.

A matéria ainda informa que as quantidades diárias recomendadas pela pesquisa eram de dois copos pequenos para mulheres e três para homens.

Como lidar com a tentação? Basta contar carboidratos e consumir com moderação! E claro, como sempre digo por aqui, intercalando com agua e comendo também entre seus copos de loira gelada.

E tem mais notícias boas para festejar a sexta feira!

Um outro estudo divulgado na revista científica Angewandte Chemie International Edition, conduzido por Werner Kaminsky, professor de química da Universidade de Washington, conseguiu decifrar com exatidão as estruturas de moléculas chamadas de humulonas, derivadas do lúpulo, ingrediente básico de todas as cervejas, e conferem à bebida seu sabor amargo característico.

Já sabia-se que a cerveja possuía substância benéficas à saúde, inclusive para diabéticos. A pesquisa de Kaminsky permite que, agora, cientistas possam usar estas substâncias benéficas no desenvolvimento de remédios, potencializando, assim, sua ação.

Sempre com moderação, a cerveja ainda pode contribuir no tratamento!

Fonte: Clube do diabetes, Aline Peach, extraído do site Farmadia – 24/03/2017