Cardiologista alerta sobre o consumo de bebidas alcoólicas nas festas de final de ano

Especialista do HCor alerta para a influência do álcool em doenças do coração e dá dicas de como aproveitar as comemorações sem colocar a saúde em risco. Estudo canadense diz que consumo moderado reduz em até 25% risco de desenvolver doenças cardíacas.

O mês de dezembro é marcado pelas comemorações de final de ano. São festas empresariais, encontros com a família, amigo secreto, entre outras confraternizações, que são um convite para o consumo abusivo de comidas gordurosas e bebidas alcoólicas. É possível, porém, aproveitar todas essas comemorações, mesmo com bebidas alcoólicas, sem colocar em risco a sua saúde.

Estudo realizado na Universidade de Calgary, no Canadá, mostrou que pessoas que bebem moderadamente tem 25% menos chances de desenvolver problemas cardíacos. Outro estudo, realizado na mesma universidade, considera que o consumo moderado de bebidas alcoólicas aumenta significativamente os níveis de colesterol considerado bom, criando um efeito protetor contra doenças cardíacas.

Para ter esse efeito benéfico, porém, o indicado é o consumo de no máximo uma dose de 40 ml de bebida destilada (vodka, uísque, cachaça), 150 ml de vinho ou, no máximo, uma lata de cerveja (335 ml).

De acordo com o supervisor de cardiologia do HCor – Hospital do Coração, Dr. Ricardo Pavanello, o consumo em excesso de bebidas alcoólicas aumenta os níveis de triglicérides no sangue. No caso de bebidas destiladas, como a Vodca e o Uísque, o malefício pode ser ainda maior, já que seu consumo em doses elevadas pode causar danos ao músculo do coração. Outro órgão bastante afetado pelo excesso de álcool no organismo é o fígado, trazendo mal-estar, vômitos e, em casos mais extremos pode ocasionar até um coma alcoólico.

“Consumidores regulares de grandes quantias de álcool, sofrem efeitos tóxicos no músculo cardíaco (miocárdio), causando arritmias cardíacas, que é a aceleração irregular dos batimentos cardíacos e, com o tempo, pode ocorrer uma miocardiopatia alcoólica”, explica Pavanello.

De acordo com o cardiologista, nas comemorações de fim de ano, o correto é não abusar. Para não acabar a noite em um hospital o recomendável é se hidratar antes de consumir bebidas alcoólicas, e claro, não abusar. "Sugerimos que antes do consumo de bebidas alcoólicas o corpo esteja hidratado com água e sucos. Já, durante a festa, intercale um copo de vinho, por exemplo, com uma de água ou até mesmo de suco. Assim, os efeitos da bebida não serão tão intensos e a ressaca do dia seguinte também não. Adotando essas medidas você consegue prevenir os riscos cardíacos”, completa o cardiologista.

Porém, segundo pesquisas, o vinho tinto, em especial, por ser rico em flavonóides (substância que atua na estabilidade da parede dos vasos sanguíneos), atua na diminuição do acúmulo de placas de gordura nesses vasos além de reduzir a possibilidade de um infarto. A bebida contém ainda outro grupo de substâncias químicas, os polifenóis, que atuam numa enzima vaso-protetora presente no coração e sintetiza o óxido nítrico, outro relevante elemento que evita o acúmulo de gordura nas paredes do coração.

Nível de álcool encontrado nas bebidas:

Bebidas (Dose) Nível de álcool na bebida Calorias por bebidas
1 lata de cerveja 17 gramas 144 calorias
1 copo de chope 10 gramas 126 calorias
1 taça de vinho 10 gramas 90 calorias
1 dose de destilado (Uisque, Vodca) 25 gramas 100 a 110 calorias

Dicas para combater e evitar a ressaca:

Tomar água entre um copo e outro de bebida alcoólica.

Evitar doces, frituras e carnes muito gordurosas. Esses tipos de alimentos sobrecarregam o fígado, o que pode contribuir ainda mais para a sensação de desconforto causada pelo excesso de bebida alcoólica.

No dia seguinte, hidratar-se bastante. Sucos com folhas verdes e gengibre contribuem para minimizar os efeitos da ressaca.

Limão, maçã, beterraba, folhas verdes e cenoura são alguns alimentos que ajudam no processo de desintoxicação.

Fonte: Revista Fator Brasil – 22/12/2011