Homens que bebem duas cervejas por dia tem menos probabilidade de morrer após um ataque cardíaco

Homens que sofrem um ataque cardíaco podem ajudar as suas chances de recuperação bebendo umas cervejas.

Um novo estudo da Prospector mostra, que depois de sofrer um primeiro ataque cardíaco, os homens que são bebedores moderados apresentam muito menos probabilidade de morrer em comparação com os não-bebedores.

Para o estudo, os pesquisadores de Harvard analisaram quase 2.000 homens norte-americanos que tiveram um ataque cardíaco entre 1986 e 2006. Os pesquisadores acompanharam os homens por até 20 anos após seu primeiro ataque cardíaco, e 468 homens morreram durante o estudo.

Homens que bebiam duas doses de bebida alcoólica por dia durante um longo período de tempo apresentaram 42% menos probabilidade de morrer de doença cardíaca, e 14% menos probabilidade de morrer por qualquer causa, descobriram os pesquisadores.

O efeito permaneceu após serem eliminados outros fatores de risco como tabagismo, obesidade, idade e histórico médico.

"Nós também descobrimos que entre os homens que consumiam quantidades moderadas de álcool antes de um ataque cardíaco, aqueles que continuaram a consumir álcool com moderação depois, também tiveram melhor prognóstico a longo prazo ", declarou o autor do estudo, Dr. Jennifer Pai, professor assistente de medicina na Harvard Medical School. O estudo foi publicado na edição do dia 28 de março da revista European Heart Journal.

De quanta bebida estamos falando? Pai disse que a porção padrão no estudo foi de um copo de 120 ml de vinho, uma garrafa ou lata de cerveja ou uma dose de bebida destilada. Aqueles que bebiam o equivalente a duas doses dessas a cada dia foram considerados bebedores moderados.

Mas beber mais não vai aumentar os benefícios protetores do álcool, descobriram os pesquisadores. As pessoas que bebiam mais tinham um risco de morte que foi aproximadamente o mesmo das que não bebiam.

"Estudos têm demonstrado que os benefícios de beber moderadamente são totalmente eliminados depois de episódios em que se bebeu em excesso," disse o Dr. Pai. "Nossos resultados, mostrando o maior benefício entre os bebedores moderados e uma sugestão de excesso de mortalidade entre os homens que consumiam mais de dois drinques por dia após um ataque cardíaco, enfatizam a importância da moderação com relação ao álcool."

De acordo com o Centro de Controle de Doenças, beber álcool em excesso está ligado a problemas neurológicos, como demência e derrame cerebral, problemas cardíacos, problemas de saúde mental e câncer da boca, garganta, esôfago, fígado, cólon e de mama - para não mencionar os custos sociais e econômicos que recaem sobre as pessoas e suas famílias.

Pesquisas anteriores sugerem que o consumo moderado de álcool reduz o risco de morrer de doença cardíaca entre as pessoas saudáveis​​, mas este é o primeiro estudo a medir o consumo de álcool antes e depois de um ataque cardíaco, disseram os pesquisadores.

Dr. Pai disse que os homens que já bebiam quantidades moderadas de álcool, podem continuar com seu hábito de beber após um ataque cardíaco, mas devem para discuti-lo com seu médico antes.

"O público deve compreender que uma associação não é uma causa", disse o Dr. Stephen Green, chefe de cardiologia no North Shore University Hospital, em Manhasset, NY. "Em outras palavras, este estudo demonstra uma associação, mas não prova que o consumo moderado de álcool é "bom" para as pessoas depois [do ataque cardíaco]."

Fonte: Belgian Shop 1464
Traduzido e Adaptado por Matthias R. Reinold