Quem bebe álcool moderadamente protege seu coração

 

O consumo moderado de álcool reduz os fatores de risco para doenças do coração e circulatórias. A essa conclusão chegou um estudo publicado recentemente pelo Instituto Robert Koch em Berlim.


A equipe de cientistas de Martina Burger avaliou os resultados das análises de sangue de mais de 7.000 alemães saudáveis, com idades entre 18 e 79 anos.


Os resultados mais importantes: aqueles que bebiam moderadamente tinham substancialmente mais colesterol HDL no sangue do que os abstêmios. O HDL ou “colesterol bom” protege as paredes dos vasos sanguíneos contra depósitos de gordura. Simultaneamente se reduziam, nos consumidores de álcool, os valores de fibrinogênio, pelo que o risco de obstrução de vasos sanguíneos é reduzido.

 

Redes de fibrina (um tipo de “adesivo da natureza”) podem obstruir vasos sanguíneos e desencadear enfarte do miocárdio ou ataque do coração.


A homocisteína vale como fator de risco adicional para doenças cardio-circulatórias e demência vascular. Esse aminoácido também estava presente no sangue daqueles que bebiam álcool moderadamente, em uma concentração reduzida. Mas quando os pesquisadores observaram exatamente de que tipo de álcool se tratava, fizeram uma descoberta espantosa: apenas quem bebia cerveja apresentava uma taxa reduzida de homocisteína. Isso poderia estar relacionado às vitaminas do complexo B – principalmente o ácido fólico, um bloqueador natural da homocisteína – que pode ser encontrado em elevada concentração na cerveja.


Fonte: *Burger M et al., Alkohol consumption and its relation to cardiovascular risk factors in Germany, European Journal of Clinical Nutrition (2004) 58, 605-614.