Perguntas e respostas

 

• Que cerveja pode beber um diabético?


De uma maneira geral, uma cerveja do tipo lager, cerveja de cor clara, bebida com moderação (2 a 3 copos de 200 ml por dia, no caso do homem, ou a metade, no caso da mulher, mas sempre acompanhada de algum alimento que contenha carboidratos), poderá ser bebida, pois o seu teor de açúcar é baixo. Notar, ainda, que as cervejas escuras (chamadas cervejas pretas) devem ser evitadas, pois contêm teores de açúcares mais elevados. A cerveja sem álcool poderá conter, igualmente, teores elevados de açúcar ou não, tudo dependendo do seu processo de produção. Assim, se for um bebedor destas cervejas, deve perguntar à empresa produtora o que lhe pode informar sobre o assunto.

 


• A cerveja pode ajudar a baixar o colesterol?


Segundo um estudo publicado na revista científica “Nonlinearity in Biology, Toxicology and Medicine, DEC 2005”, 30 minutos após a ingestão de um copo de cerveja verifica-se uma redução do nível de LDL (o mau colesterol), contudo, este efeito positivo perde-se caso o indivíduo continue a beber: após 3 copos a oxidação do LDL pode ser acelerada, perdendo-se aquele efeito positivo inicial.


Notar, também, que beber além dos 2 copos de cerveja eleva-se a pressão arterial.

 


• Quantas calorias há num copo de cerveja?

 

Um copo de cerveja (200 ml) terá cerca de 80 a 90 Kcal, conforme a cerveja consumida. Uma cerveja não alcoólica terá sensivelmente metade destas calorias.

 


• Qual a importância do silício, componente da cerveja, para a saúde dos nossos ossos?


O consumo moderado de cerveja, segundo muitas evidências recolhidas até hoje, está positivamente associado com a densidade óssea, sendo esta essencial para a saúde óssea, embora ainda se desconheça o mecanismo envolvido (têm sido propostos mecanismos envolvendo, ou não, o álcool). Porém, o consumo excessivo de álcool é arrasador para a saúde dos nossos ossos.


J. Powell sugeriu, recentemente, que o silício por ser um componente da cerveja (provém da cevada), é especialmente importante para a saúde dos ossos, porque:


a) se encontra em quantidades muito apreciáveis na bebida e sob uma forma altamente bioassimilável – ácido ortossilícico - e;

b) tudo indica que seja um nutriente importante na saúde óssea. Estudos epidemiológicos e celulares estão em curso para avaliar a ação do álcool e da cerveja e a importância, e os mecanismos da ação do silício nos ossos.


O consumo moderado de cerveja será, assim, importante para a saúde dos ossos concorrendo, por um lado para a sua formação (ação do silício) e, por outro, porque inibe a reabsorção óssea (ação do etanol).


Valores de silício nas cervejas: 10-40 mg/L (ingestão diária de 20-40 mg/L)


*Resposta baseada na Conferência de Jonathan Powell, MRC Collaborative Centre for Human Nutrition Research, no 4º. Simpósio Europeu sobre “Cerveja e Saúde”, intitulada “Beer, silicon and bone”, Bruxelas, 4 de maio de 2006 (Organizado por The Brewers of Europe).*


Fonte: Instituto de Bebidas e Saúde de Portugal