Brasil Brau 1999

 

As novidades do setor

Em março deste ano realizou-se a V Feira Internacional de Tecnologia em Bebidas e o VII Congresso Brasileiro de Ciência e Tecnologia Cervejeira em Foz do Iguaçú - Paraná.

As empresas brasileiras e estrangeiras presentes na Feira mostraram que, apesar da crise (momentânea) por que passa o Brasil, o mercado continua evoluindo e num mundo que acabou virando uma pequena aldeia (devido à globalização), as demandas dos clientes e as respectivas soluções cruzam as fronteiras com facilidade e velocidade incríveis.

A solução para uma demanda (ou problema) pode estar aqui mesmo no Brasil, mas também pode vir de países longínquos. As novidades mais expressivas serão apresentadas a seguir.

Produtos de limpeza e desinfecção

A Diversey Lever apresentou novos produtos, entre eles o Divobrite Integra e o Dual-CIP. O Divobrite Integra permite manter as garrafas de vidro com uma aparência de novas por mais tempo e prolonga mais a sua vida útil, devido à sua proteção contra a corrosão química interna e externa da garrafa (não apenas a abrasão afeta a aparência externa).

O Dual-CIP permite uma limpeza combinada (limpeza e sanitização) em uma única etapa, sob pressão e atmosfera de CO2, e segundo o fabricante, propiciando economia de até 76% com relação à limpeza cáustica tradicional e redução de até 25% no tempo de limpeza.

A Ecolab também trouxe novos produtos, entre eles o Vortexx e o ACIP móvel de fase única.

O Vortexx é um desinfetante líquido, de duplo perácido (ácido peracético e ácido peroctanóico) que apresenta uma eficácia antimicrobiana superior à da maioria dos desinfetantes à base de ácido peracético, agindo sobre um maior espectro de microrganismos patogênicos.

Sua concentração de uso é de 30 a 50% mais baixa que a maioria dos desinfetantes à base de ácido peracético e pode ser aplicado na faixa de temperatura entre 4 e 40°C.

O ACIP móvel permite a limpeza e desinfecção automáticas de tanques outdoor com diâmetros até 4,50 metros e altura até 20 metros, assim como tubulações com diâmetros até 4", tanques indoor, tanques de pressão, tanques horizontais e enchedoras.

A sua construção e o controle/registro microprocessados permitem, segundo o fabricante, uma redução no consumo de água, produtos químicos, tempo de limpeza, consumo de energia e também uma melhor qualidade no processo de limpeza.

Microcervejarias

As empresas Beraplan, Cepem/BdB, Meura, Velo e Kaspar Schulz apresentaram microcervejarias com capacidades que variam de 50 a 2.000 litros por cozimento, com vários níveis de automação e padrões de acabamento.

O Cepem/BdB expôs em seu estande uma microcervejaria compacta com capacidade de 50 litros por cozimento, com revestimento em cobre.

O segmento de microcervejarias no Brasil já conta com mais de 26 unidades distribuídas pelo país.

Novas tecnologias

Foi apresentado pela Steinecker um novo sistema de cozimento de mosto denominado Merlin, que possui uma série de características inovadoras, que combina o cozinhador de mosto (como aquecedor) e o Whirlpool (como vaso coletor do mosto).

Esta configuração proporciona, segundo o fabricante, uma expressiva economia de energia, um controle direcionado dos valores analíticos do mosto (através, por exemplo, do controle da carga térmica), uma melhora na estabilidade da espuma e redução do volume de águas residuais.

Novos equipamentos e produtos

A KHS, tradicional empresa fornecedora de equipamentos para a área de processo e envasamento (packaging), oferece agora soluções completas para os sistemas de refrigeração industrial de cervejarias, incluindo também sistemas de supervisão e gerenciamento.

A empresa Handtmann expôs em seu estande um filtro da série Multi Micro, utilizado na microfiltração da cerveja (para assegurar a estabilidade microbiológica) ou para a filtração em profundidade (pós-filtração da cerveja). As capacidades dos filtros variam de 10 a 600 hl/h, podendo ser completamente automatizados.

A empresa Cuno apresentou um sistema de filtração projetado para as necessidades específicas de filtração de cada cliente. Estes sistemas podem ser montados em plataformas móveis.

A Optek, representada no Brasil pela Digitrol, apresentou fotômetros para medição em linha de concentração, cor, turvação e absorção por UV. Os equipamentos podem ser utilizados em mais de 30 pontos de medição no processo cervejeiro, desde a medição da turbidez do mosto na saída da tina-filtro até o controle da água de efluentes.

A Lancer apresentou uma série de acessórios para instalações de chope, como recipientes para a sanitização da linha de chope, bombas de chope para deslocamento do produto a longas distâncias, tubo Python que facilita a montagem e permite isolamento térmico eficiente, assim como mangueiras atóxicas reforçadas para chope e CO2.

A Holland, representada pela empresa Cold Mix, expôs em seu estande balcões refrigerados para resfriamento de barris KEG, de construção robusta e extremamente versáteis (podem ser montados em menos de 5 minutos, graças ao sistema de fechos rápidos). As capacidades variam de 2 a 10 barris KEG por balcão (volume útil de 550 a 1.660 litros).

As unidades de refrigeração (coolers) podem ser montados na parte superior ou lateral do balcão, conforme a necessidade do cliente.

Sistemas de medição em linha (pH e redox) foram apresentados pela Mettler Toledo. Os alojamentos possuem conexões sanitárias e a concepção dos sensores e dos alojamentos obedece às especificações da indústria de biotecnologia, alimentícia e bebidas.

Plantas para a produção, recuperação e armazenagem de CO2 foram apresentadas pela Tecno Project Latina. A Alfa Laval, que adquiriu a Scandi Brew, apresentou sua linha tradicional de produtos, que inclui carbonatadores, diluidores (blendadores) de cerveja, unidades para flash-pasteurização, sistema de inoculação de levedura, entre outros. Novos sistemas foram apresentados, como um sistema inovador para a nitrogenação de cervejas ale e lager no enchimento de barris KEG.

Bombas para chope, acionadas por meio de ar comprimido ou CO2 foram apresentadas pelas empresas Shurflo e Flojet, representadas no Brasil pela Cold Mix. Estas bombas de diafragma duplo permitem abastecer a chopeira, sem, no entanto supercarbonatar a cerveja no barril, permitindo o transporte do chope por longas distâncias.

Cilindros de alumínio para CO2, com capacidades que variam de 0,6 a 22,7 kg foram apresentados pela Luxfer, representada no Brasil pela Cold Mix. Estes cilindros apresentam uma série de vantagens sobre os de aço, incluindo peso cerca de 40% menor, interior e exterior resistentes à corrosão e superfície externa escovada que exige pouca manutenção.

A Codistil, que representa a Paques (tecnologia ambiental) e a Schenk (equipamentos para a filtração de cerveja) no Brasil, apresentou um novo sistema de tratamento de efluentes combinado (anaeróbio e aeróbio), que além de alcançar um ótimo resultado no tratamento dos efluentes, ocupa muito menos espaço que um sistema tradicional (até 5 vezes menos).

A Schenk apresentou o filtro de velas (Ecoflux) para terra diatomácea (kieselgur), que possui capacidade de meio filtrante de até 9 kg/m2, tamanho de poros de 30 m, utilização de uma pré-camada, descarga seca ou úmida, entre outras características.

A Filtrox trouxe um novo conceito de estabilização por PVPP por meio do filtro de velas (Filtrojet S), visto que a tecnologia atual utiliza filtros de placas horizontais. O filtro não apresenta peças móveis e segundo o fabricante, este novo conceito permite curtos tempos de regeneração e utiliza um processo especial para reduzir volumes específicos e necessidade de tempo.

Um novo filtro de mosto da Landaluce (Filtro l), com estrutura em aço inox e placas em polipropileno, permite um ciclo completo a cada 2 horas, o que permite atingir 12 cozimentos/dia.

A sua concepção difere um pouco dos sistemas existentes no mercado, pois os seus elementos filtrantes são telas e não membranas. A carga do filtro pode variar de 80 a 110% da capacidade nominal do filtro. Um mosto primário mais concentrado (22 - 24°P) facilita a produção de mostos high-gravity para futura diluição, se necessário.

Pequenas linhas de embarrilamento KEG (lavadora e enchedora) destinadas a microcervejarias foram apresentadas pela Comac. As máquinas foram concebidas para obter o mesmo rendimento das máquinas maiores.

Um novo sistema de propagação de levedura foi apresentado pela Meura-Delta, consiste basicamente em um tanque de propagação isolado termicamente, bomba de circulação, trocador de calor tubular e sistema de membrana para injeção de oxigênio. O fluxo de oxigênio é forçado através de uma estrutura de óxido de alumínio sinterizado, com poros de 0,05 m, o que permite uma excelente difusão do oxigênio na levedura. A eficiência da transferência de oxigênio e da conversão é consideravelmente melhorada através da grande área de interface gás/líquido. A homogeneização e oxigenação são atingidas através de circulação nos canais internos do sistema de injeção de oxigênio.

Como resultado, atinge-se após a propagação uma concentração de levedura de 200 a 500 milhões de células/ml. Num sistema tradicional, a concentração oscila entre 60 e 100 milhões de células/ml.

Para a filtração com terra diatomácea foi apresentado um filtro de velas pela Meura, para pressões de trabalho de 8 kgf/cm2 e acima, grande resistência à temperatura (até 300°C), permitindo esterilização por vapor. Seu desenho permite total integração a sistemas automatizados.

A HMR apresentou um filtro de ventilação para tanques e containers que possui pré-filtro para poeira e poluição (20 m), o que permite aumentar a vida útil do filtro de membrana estéril CPM.

Linhas completas para barris Keg foram apresentadas pela m+f KEG Technik, representada no Brasil pela HMR. Sua linha de produtos compreende desde linhas completas de lavagem e enchimento de barris Keg (capacidades de 10 a 800 barris/hora); sistemas de gerenciamento por transponder (através de microchip) que permitem acompanhar toda a movimentação dos barris no mercado, otimizando assim a logística; sistemas para detectar vazamentos nas válvulas dos barris Keg (permitem separar o barril que apresenta vazamentos de gás ou cerveja, antes de ir para o mercado). Para aumentar a capacidade das linhas de embarrilamento, a m+f desenvolveu e construiu um robô de um braço e seis eixos, que não apenas paletiza, mas também vira, retira o lacre plástico do barril, coloca o lacre no barril, passa o barril pela antena do microchip (transponder), codifica o barril por meio de jato de tinta e paletiza novamente. Esta paletização pode ser efetuada em vários níveis, com ou sem palete no meio, com precisão milimétrica.

Instrumentos para medição de vazão (volumétrica, mássica), nível, pressão, temperatura, umidade e medição analítica (pH, O2, turbidez, redox e condutividade) foram apresentados pela Endress+Hauser. Toda a instrumentação pode ser controlada de uma central microprocessada, que permite conexão a um sistema supervisório.

A Codistil, que fabrica equipamentos com tecnologia Huppmann no Brasil, apresentou algumas inovações tecnológicas, como um dispositivo instalado no costado da tina-filtro, que permite a retirada do mosto pela parte superior (este mosto é filtrado por módulos de filtração fina); fundo falso da tina-filtro modificado, que permite uma maior clarificação do mosto e um aumento mais lento da pressão diferencial e também economiza tempo e produtos químicos na limpeza; novo desenho das facas do afofador da tina-filtro, que permite melhorar o fluxo de mosto; aquecedor interno com dispositivo de expulsão múltipla em dois níveis para a distribuição regular do mosto, que segundo o fabricante, possui uma série de vantagens sobre o aquecedor externo: menor carga térmica, melhor homogeneização do mosto no cozinhador, maior superfície real de evaporação, sistema mais simples e robusto, garantindo uma vida longa, entre outras.

Ingredientes

As empresas Hopunion e Haas apresentaram novos tipos de lúpulos especiais a serem utilizados principalmente em duas fases do processo: na sala de cozimento e na filtração da cerveja.

Ambas possuem soluções personalizadas para a racionalização da aplicação do lúpulo, uniformidade da estabilidade organoléptica da cerveja, melhoria da estabilidade da espuma e sua aderência e também melhoria da estabilidade com relação ao paladar de luz.

Enzimas beta-glucanase foram apresentadas pela AEB, sob o nome de Endozym Glucagel, produto este cuja utilização se dá na malteação da cevada ou durante o início do processo de mosturação na sala de cozimento da cervejaria.

Estabilizantes da cerveja

A empresa ISP lançou um novo estabilizante combinado, o Polyclar Plus 730, que age sobre a fração protéica e polifenólica simultaneamente.

A empresa Omnichem/Ajinomoto apresentou o ácido tânico, produto destinado à estabilização protéica e 100% natural, apresentando grande versatilidade na utilização - pode ser adicionado em várias fases do processo (sala de cozimento, adegas e filtração).

Em tempos difíceis (que sempre fizeram parte da evolução da Humanidade), é primordial que aproveitemos as chances de sair do marasmo e criar novas alternativas para velhos problemas.

Isto ficou demonstrado pelo lançamento de novos produtos ou pela alteração (para melhor) de produtos já existentes.

Fonte: Matthias Rembert Reinold
Consultor da M. REINOLD - Tecnologia em Qualidade e Produtividade Ltda.