Bombas diafragma ARO® na indústria cervejeira

Com uma bomba operada a ar comprimido é possível encher latas de cerveja em uma velocidade máxima, independente das flutuações de temperatura, distância dos tanques e outros.

Quando falamos em fabricação de cerveja nos Estados Unidos, a região noroeste é o berço do movimento. As cervejarias artesanais regionais produzem entre 15 mil barris (17.886 hl) e 6 milhões de barris (7.154.428 hl) por ano. São estruturas unificadas que dedicam todo seu tempo para a fabricação de cervejas artesanais com ingredientes de alta qualidade, produção que seria muito cara e demorada para as cervejarias comerciais.

A desvantagem desta abordagem é que a produção artesanal raramente tem recursos para investir em seu próprio equipamento de envasamento em latas. Em 2012, Justin Brandt fundou a Northwest Canning, uma operação de enlatamento móvel com sede em Portland, Oregon, que fornece soluções de embalagens acessíveis para microcervejarias e cervejarias artesanais regionais em Oregon, Washington e Idaho.

Desde a sua criação, a Northwest Canning passou por um crescimento explosivo, com o aumento contínuo da produção de cervejas artesanais, expandindo seus negócios de US$ 100 mil por ano para mais de US$ 1,5 milhão. Para acompanhar o aumento de demanda e sustentar o crescimento do negócio, a empresa examina seus equipamentos e métodos operacionais regularmente a fim de garantir que continue sendo a operação de enlatamento mais rápido móvel.

Para este tipo de serviço, a escolha de uma bomba a ar comprimido é fundamental para manter o sabor e a qualidade da cerveja. Quando Brandt começou seu negócio, seus funcionários enchiam as latas manualmente para atender a clientela. À medida que a base de clientes se expandia, a empresa passou a utilizar uma bomba centrífuga elétrica que foi montada no reboque de enlatamento móvel.

A bomba centrífuga proporcionou um aumento significativo na potência e na operação em um ciclo contínuo. A bomba usou um impulsor para transvasar a cerveja do tanque até o enchimento. O líquido foi transferido para latas de 355 ml e 473 ml. “Se a operação tivesse de ser interrompida, o impulsor continuaria a girar, formando uma espuma de cerveja no enchimento e aumentando a temperatura do líquido. O bombeamento constante introduz mais oxigênio na cerveja, gerando espuma e afetando o sabor da cerveja”, explica Alexandre de Ponte, gerente de vendas para a América Latina para a divisão de bombas ARO®, do grupo Ingersoll Rand®.

Os cervejeiros gastam uma quantidade significativa de tempo fazendo sua cerveja manualmente e têm orgulho dos ingredientes que usam, o sabor que eles criam. Quando se trata de envase em latas, a maior prioridade de uma cervejaria artesanal é que o sabor e a qualidade da cerveja sejam mantidos.

“Como a bomba centrífuga é movida por eletricidade para manter seu fluxo e pressão, um dos grandes desafios foi manobrar o reboque de modo que em cada cervejaria tivesse uma tomada próxima. Para atender a produção necessária e manter a qualidade da cerveja, a Northwest Canning substituiu a bomba centrífuga por uma bomba de diafragma, operada por ar comprimido FDA, da ARO®”, complementa Cristian Drewes, diretor de vendas para a América Latina da ARO®.

bombas

O cliente tinha avaliado outras bombas de diafragma, mas eram ineficientes e as exigências de ar eram muito altas para algumas cervejarias, explica Drewes.  Por fim, a Northwest optou pela bomba ARO® porque era a mais eficiente e a maioria das cervejarias poderia fornecer ar adequado para acionar a bomba.

As bombas da linha SD de FDA da ARO® são projetadas para transferir fluidos para as indústrias de alimentos e bebidas de forma eficiente e segura. “Estas bombas produzem até 30% melhores taxas de fluxo do que outros produtos disponíveis no mercado, assegurando que o material seja transferido com cuidado, fator que é de alta prioridade para cervejeiros e enlatadores”, ressalta Alexandre.

Usando a nova bomba ARO®, a Northwest Canning foi capaz de gerenciar a pressão com mais eficácia para combinar com outras variáveis, como a temperatura e o dióxido de carbono dissolvido na cerveja.

Além disso, os operadores são capazes de reduzir o fluxo caso a cerveja espume muito ou aumentá-lo quando necessário. Uma vez que cada ml de cerveja é tratado suavemente, a vida útil é estendida, mantendo o sabor cuidadosamente elaborado de cada bebida.

Para obter mais informações, visite www.ingersollrand.com ou www.ingersollrandproducts.com

Fonte: Gabriela Buitron
GWA Comunicação Integrada
Fone: (11) 3030-3000
gabriela@gwa.com.br