O uso de mangueira na cervejaria

 

Tradicionalmente, as cervejarias utilizam diversos tipos de mangueiras para o tráfego de cerveja, levedura e outros produtos, mas nem sempre as mangueiras utilizadas são apropriadas para o fim a que se destinam. A construção das mangueiras, a composição dos materiais utilizados, sua utilização, manutenção e limpeza são fatores importantes que devem ser levados em consideração quando de sua aquisição.

Estrutura de uma mangueira

A estrutura de uma mangueira para o tráfego de cerveja compreende três elementos distintos:

- Tubo interno (alma) – deve resistir às várias exigências do uso na prática. Para isso contam: a compatibilidade com o produto a ser transportado (grau alimentício), resistência a produtos de limpeza e desinfecção halogenados, alcalinos ou oxidantes, resistência à esterilização e à alta carga térmica (vapor), insensibilidade contra “venenos de borracha” (íons de cobre), resistência a todos os outros esforços físicos e mecânicos.

- Reforço – confere à mangueira a resistência à pressão e/ ou vácuo e a outros esforços mecânicos para a qual foi especificada. Também o reforço é submetido a relativamente altos esforços quando do uso do vapor e deve ser dimensionado para isso.

- Cobertura – componente externo, cuja função está relacionada a proteção do reforço, razão pela qual se deve resistir a qualquer ação agressiva do meio externo (abrasão, intempéries, cortes, produtos químicos etc). Sua cor deve atender às necessidades da cervejaria.

Diâmetro interno (mm)

Espessura da parede (mm)

Peso aproximado (g/m)

Raio de curvatura (mm)

Pressão de trabalho (bar)

Vácuo (bar)

13

3,5

350

100

30

0,31

16

4

400

120

25

0,31

19

5

500

160

20

0,31

25

6

800

200

15

0,51

28

7

920

220

15

0,51

32

8

1250

230

15

0,51

35

9

1450

245

15

0,51

38

9

1590

270

15

0,51

40

10

2000

280

15

0,51

45

10

2400

315

15

0,51

50

11

2900

350

15

0,51

60

13

3500

420

15

0,51

65

14

4100

450

15

0,51

75

15

5200

525

10

0,56

80

16

5500

560

10

0,56

100

16

6650

700

10

0,56

A escolha da mangueira correta

Apenas pelo produto que irão transportar e modo de limpeza, não podemos escolher a mangueira correta. As mangueiras são submetidas parcial ou constantemente a todo o tipo de carga: influências da temperatura, torção, choque, dobras, flambagem e forças de tração e pressão, assim como condições do meio ambiente – atrito com o piso, exposição ao sol e a grandes variações de temperatura (variações de temperatura do gelo até a irradiação de calor de superfícies de concreto e metal, até cerca de + 80oC) e a ação dos raios U.V.

Ao lado de esforços físicos e mecânicos, existe um grande número de influências químicas, em parte como reação de diversas substâncias, assim como os diversos processos de limpeza e desinfecção que devem ser conhecidos e dominados.


Mangueira cervejeira sendo usada em painel

A variedade de meios transportados pelas mangueiras nas cervejarias determina que a oferta de produtos atenda às necessidades de uso.

O mercado exige conceitos diversificados de resistência, teste de resistência e garantias, que não só atendam o uso específico, mas também no que diz respeito a agentes de limpeza relevantes, testes de resistência cada vez mais abrangentes (ex.: tabela de resistência com cerca de 150 substâncias). Para uma segurança operacional e segurança do operador absolutas, já no projeto do produto e em sua elaboração, deve-se considerar todas as influências dos meios potenciais a serem transportados, assim como as influências do processo de produção e limpeza (para o tubo interno, reforço e cobertura).

Não é suficiente ser organolepticamente neutro e transportar líquidos (bebidas) sem alterar suas características. É muito importante conhecer e observar uma série de ataques químicos, térmicos e mecânicos através dos diversos passos dos processos de produção e limpeza (CIP).

Para a cervejaria e de relevância funcional, higiênica e econômica, a fixação da mistura correta da borracha. A especialização se faz necessária, pois não existe a mangueira universal.

Atualmente há cerca de 800 tipos de borracha (incluindo os subgrupos), os muitos termoplásticos, mais de 500 materiais de enchimento e cerca de 400 diferentes plastificantes, assim como cerca de 300 produtos de proteção contra o envelhecimento.

Encontrar a combinação correta (receita) exige uma prática abrangente e um contato permanente com o mercado.

Não faz muito tempo que íons de cobre (provenientes de equipamentos do processo) amoleciam o tubo interno de borracha natural das mangueiras cervejeiras, deteriorando-as completamente. Por conseguinte, os tubos internos passaram a utilizar vários tipos de borracha sintética.

Características técnicas da mangueira cervejeira

As mangueiras cervejeiras normalmente são resistentes a:

- Ácidos oxidantes (HNO3 -) em concentrações de 0,05% até 0,1% a temperaturas de 85 graus Celsius ou 1,0% até 2,0% à temperatura ambiente;

- Agentes halogenados;

- Soda cáustica (NaOH a 2% a 60 graus Celsius até 85 graus Celsius, acima de 2% a 35 graus Celsius até no máximo 45 graus Celsius);

- Álcool até 96% (sem turvação e alterações de paladar em curto período de ação, em sistema aberto);

- Água quente a 80 graus Celsius até 95 graus Celsius;

- Vapor até 110 graus Celsius (por curto período de tempo: até 130 graus Celsius).

Dados técnicos:

Para conectar e acoplar as mangueiras cervejeiras normalmente é utilizado terminais dotados de rosca de um lado e porca do outro (de acordo com DIN 11851).

As opções de conexão são os terminais estriados e abraçadeiras de aperto, terminais lisos e braçadeiras de duas metades (de aperto), ou através de uma combinação de terminais lisos com luvas de pressão.

Essa combinação permite máximas pressões de trabalho, também a extremas temperaturas e possibilita uma transição impecável do ponto de vista higiênico, entre a mangueira e a guarnição (“full-flow”).


Bocal do tipo "Full Flow"

As conexões indevidamente fixadas às mangueiras podem soltar-se, por exemplo, durante uma circulação com soda cáustica quente (70 - 80oC), causando, além da perda de produto, danos a pessoas e equipamentos, já que a mangueira solta bate com violência à sua volta.

Uma mangueira em mau estado de conservação (principalmente interno) pode causar uma série de transtornos de ordem microbiológica.

As mangueiras utilizadas para tráfego de produtos na cervejaria possuem determinada vida útil, mesmo quando todas as instruções de uso são respeitadas. Periodicamente, efetuar inspeção visual para detectar possíveis danos causados por produtos químicos, pelo uso diário e muitas vezes por uso inadequado.

É recomendado o uso de anéis de proteção para os terminais (bocais) e a identificação de cada mangueira, de modo a permitir o controle de sua vida útil e de todas as revisões / limpezas.

Fonte: Matthias Rembert Reinold
Mestre Cervejeiro Diplomado