Pizza com cerveja, uma harmonização descontraída

Pizza é comida italiana. Tem massa. Logo, come-se com vinho, certo? Sim, também, mas por que não com uma cerveja? As duas estão entre os alimentos mais descontraídos do mundo, relacionadas a momentos relaxados, como a happy hour, e podem ser consumidas sem muitos regramentos. Que tal aproveitá-las juntos?

A harmonização de pizzas com cervejas é bastante livre, de acordo com a sommelière de cervejas Bianca de Lena, da Birreria Escondido, ambiente que mistura chopes diversos com pizzas artesanais no Rio de Janeiro. Ela argumenta que na hora de combinar os sabores é bom deixar um pouco as regras de lado, já que os dois têm uma pegada relax. “É experimentar, deixar o conservadorismo de lado. A cerveja é muito livre para isso, e a pizza também”, comenta.

No entanto, algumas dicas podem ajudar. Primeiro, é preciso pensar no sabor do recheio da pizza para tentar encontrar uma cerveja que case melhor. A sommelière também indica que se procure levar a potência dos sabores em conta. Pizzas com temperos e ingredientes leves casam com cervejas mais delicadas, já os sabores mais intensos com bebidas mais potentes. Depois, pode-se lembrar das ideias básicas de harmonização, como contraste, semelhança e corte.

Conceitos básicos

No contraste, Bianca explica que os sabores distintos da cerveja e da pizza devem se complementar. Uma pizza de pastrami (uma carne curada e temperada) cai bem com uma Saison, que fará corte e contraste de condimentos. Na semelhança, deve-se escolher uma bebida e recheio que tenham notas semelhantes. “Uma boa Pilsen vai bem com pizzas mais leves, de frutos do mar, frango, burrata”, exemplifica.

Uma característica de quase todas as pizzas é a gordura, e o corte ajuda nisso. Muitas cervejas podem fazer a limpeza do paladar. Cervejas mais lupuladas, alcoólicas ou carbonatadas podem ser boas escolhas. “O álcool e o lúpulo cortam a gordura”, comenta Bianca. Há ainda a harmonização por semelhança de sabores e notas. “Uma Rauchbier combina bem com uma pizza de ricota defumada, ou de embutidos defumados”, exemplifica.

Gosto manda

Para Rodrigo Ferreira, 30 anos, cliente da Birreria Escondido, pizza e cerveja tem tudo a ver, mas o carioca opta por combinar sabores que o agradam, de forma mais descontraída. “Vou muito no que eu gosto. Estou tomando uma Stout pois acabei de voltar da Irlanda”, explicou, enquanto degustava a cerveja com uma pizza calabresa.

Dicas de harmonizações:

Margherita – Um clássico, a pizza que leva molho de tomate, queijo mussarela e manjericão é leve e pede uma cerveja na mesma linha, como uma Pilsen.

Quatro queijos – Outra muito pedida, a pizza quatro queijos pode ser bastante potente e gordurosa. “Pelo corte da gordura, pode ser uma American Pale Ale. Para quem gostar de cervejas lupuladas, uma Double/Imperial IPA”.

Calabresa – A calabresa pode ter gordura e ser mais condimentada. Uma IPA, mais lupulada, pode ser boa para o corte da gordura.

Frango com catupiry – Outra pizza bastante consumida, ela é leve pelo frango, mas gordurosa devido ao catupiry. Bianca sugere uma Weiss, pela semelhança com a leveza do frango, além de ter boa carbonatação.

Pepperoni – Embutido bastante condimentado, o pepperoni pode casar muito bem com uma cerveja mais intensa, como uma Double/Imperial IPA. “Vai elevar a pimenta”, explica. Mas se a pessoa preferir frear a picância, pode apostar em uma American Amber Ale ou Vienna Lager.

Bacon – Pizzas que levam bacon entre seus ingredientes podem combinar bem com cervejas que tenham torra, como as Porter.

Chocolate – A harmonização óbvia com pizzas de chocolate são cervejas como Stouts e Porters, por semelhança. Mas Bianca sugere uma Black IPA. “O leve frutado, a torra que quebra um pouco o doce e o lúpulo que corta a gordura combinam”, diz.

Doce de leite com banana – A sommelière indica uma Saison ou uma Belgian Golden Ale. Além de cortarem a gordura, devido ao álcool e a carbonatação, o frutado das cervejas combina com as notas da pizza.

Fonte: G1 – 31/08/2016 disponível 01/09/2016