Acessar Registrar

Acesse sua conta de usuário

Nome de usuário *
Senha *
Lembrar de mim

Criar uma conta

Todos os campos marcados com asterisco (*) são obrigatórios.
Nome *
Nome de usuário *
Senha *
Verificar senha *
Email *
Verifar email *
Captcha *

O aumento do consumo de cerveja no Brasil foi fundamental para o bom resultado da AmBev. A dona das marcas Skol, Antarctica e Brahma teve lucro líquido de R$ 486 milhões no terceiro trimestre deste ano, 21,8% mais que no mesmo período do ano passado. A receita líquida da quinta maior cervejaria do mundo e a maior da América Latina somou R$ 4, 337 bilhões no terceiro trimestre, 10,9% superior à do mesmo período de 2005. As vendas de cerveja no Brasil cresceram 9,9% em valor e 4,3% em volume, chegando aos 15,1 milhões de hectolitros. 'Esse foi um novo trimestre de forte crescimento no Brasil', disse, no balanço, o diretor-geral da AmBev para a América Latina, Luiz Fernando Edmond. As operações da cervejaria no Brasil foram responsáveis por 58,9% da receita - outros 25,3% vieram da América do Norte (onde a empresa opera por meio da Labatt) e 15,8% da América Latina Hispânica. Essa última região ganhou importância nos resultados da AmBev.

As vendas tiveram crescimento de quase 50% no terceiro trimestre do ano. No Brasil, a AmBev ganhou mais um pedaço no concorrido mercado de cervejas. Sua participação passou de 68,1% para 68,3%. O crescimento das marcas premium da cervejaria mereceram destaque no balanço. As vendas da Bohemia subiram 27,8%. No caso da Original, o crescimento foi de 40,6%. A cervejaria registrou lucro antes de juros, impostos, desvalorização e amortizações (Ebitda) 18% maior no terceiro trimestre, ante o mesmo período de 2005. O total ficou em R$ 1, 824 bilhão. O Brasil foi responsável, sozinho, por mais da metade (63,3%) do Ebitda consolidado da companhia. Segundo o diretor, o Ebitda foi positivo pela primeira vez no ano nas operações na América Latina (excluindo o Brasil). A AmBev, que faz parte do grupo belga-brasileiro InBev, opera no Brasil, Canadá,Equador, El Salvador, Guatemala, Nicarágua, Peru, República Dominicana e Venezuela. Por meio do Grupo Quinsa, a empresa está presente ainda na Argentina, Bolívia, no Chile, Paraguai e Uruguai.

Lucro da Inbev

A InBev, formada pela fusão da AmBev com os belgas da Interbrew, também anunciou ontem seus resultados do último trimestre. O lucro da maior cervejaria do mundo em volume atingiu 479 milhões (US$ 611,1 milhões), um salto de 34% em relação a igual período do ano anterior. O resultado se deveu principalmente ao bom desempenho dos mercados da América Latina e Europa Oriental, região onde o volume de vendas cresceu 14,2%.

Em volume, a InBev teve um crescimento mundial de 5,4%. Entretanto, na Europa - onde concorrentes como a SabMiller tiveram crescimento de até 30% em vendas devido à Copa da Alemanha em julho - a InBev amargou uma queda de 2,3%. A empresa justificou-se, dizendo que o consumidor europeu está 'se afastando da cerveja'.

Fonte: O Estado de São Paulo - Economia & Negócios - Dezembro/2006

guia fornecedores