Acessar Registrar

Acesse sua conta de usuário

Nome de usuário *
Senha *
Lembrar de mim

Criar uma conta

Todos os campos marcados com asterisco (*) são obrigatórios.
Nome *
Nome de usuário *
Senha *
Verificar senha *
Email *
Verifar email *
Captcha *

A AmBev registrou em janeiro perda de 0,6 pontos porcentual de participação no disputado mercado cervejeiro, em que ela detém a liderança. Em dezembro, a empresa tinha 69,3% de participação e, em janeiro, 68,7%, na soma de todas as suas marcas (Skol, Brahma, Antarctica, Bohemia, entre outras), segundo medição da AC Nielsen. As marcas Antarctica e Brahma foram as que mais perderam (0,9 pontos porcentuais cada uma). A queda da AmBev só não foi maior porque a Skol ganhou um ponto porcentual. A perda de mercado foi motivada, de acordo com fontes próximas à companhia, pelo aumento de 4% nos preços (na média de todas as cervejas) adotados no começo de janeiro e pela maior importância das vendas nos supermercados no mês de férias. Isso teria acontecido também nos dois anos anteriores. Além disso, houve uma redução do canal de vendas “bar” na pesquisa da Nielsen, o que teria afetado o resultado.

No mesmo período, a vice-líder do segmento, a Schincariol, ganhou 0,4 pontos porcentuais, passando de 11% para 11,4% do mercado. Apesar da recuperação, a fatia ainda está abaixo da averiguada em novembro do ano passado, quando a empresa tinha 12,1% do mercado. A terceira colocada, Femsa, também considerando todas as suas marcas, passou de 8,6% para 8,7%. A recém-lançada cerveja Sol, que pertence à fabricante mexicana, perdeu quase 0,1 ponto: sua participação caiu de 0,9% para 0,8%, enquanto a Kaiser cresceu de 4,9% para 5,1%. No resultado geral, este é o sétimo mês consecutivo em que a empresa - que completou um ano de atuação no Brasil - mantém ou aumenta sua participação de mercado. A Petrópolis, que segundo se comenta no mercado estaria negociando a compra da cervejaria Cintra, também avançou. A empresa cresceu, aumentando sua participação de 6,7% para 7% do mercado.

Fonte: O Estado de São Paulo - Economia & Negócios - Janeiro/2007

guia fornecedores