Quais habilidades são necessárias para se tornar um CEO?

*Por Sílvio Celestino é sócio fundador da Alliance Coaching.

Cada CEO segue um caminho próprio, e, portanto, você também deverá ser capaz de construir o seu. Algumas competências e elementos comuns são perceptíveis, ao mesmo tempo em que há histórias paradoxais em relação às orientações mais frequentes sobre o tema.

Por exemplo: em meus 15 anos como coach de presidentes e diretores, já encontrei CEOs com formação internacional e outros sem ao menos a faculdade. Alguns passaram por várias empresas, até mesmo em mercados diferentes, e outros construíram pacientemente sua carreira em uma única companhia.

Apesar dessas diferenças, alguns temas são relevantes para você construir seu próprio caminho.

A primeira habilidade a desenvolver é a capacidade de compreensão de negócios como um todo e o da empresa em que trabalha em particular. Você deve ser capaz de saber o porquê da existência da empresa, como são comercializados seus produtos, como é o mercado, quais são os concorrentes, e pensar o futuro da companhia de maneira estratégica, ou seja, definindo planos em acordo com os acontecimentos do mundo, principalmente nas esferas política e econômica.

Os mercados evoluem em ciclos, formados por fases de expansão e contração, portanto, o quanto antes você for capaz de prevê-los e desenhar alternativas para aproveitá-los em favor do negócio, mais próximo do que é esperado de um CEO você estará. Observe que há executivos que são muito bons em momentos de expansão econômica, mas sofríveis nas contrações. E é nessa fase que os CEOs são mais exigidos.

Procure desenvolver sua carreira nas áreas de vendas e finanças, pois são os dois setores que formam os executivos com a compreensão mais abrangente e verdadeira de negócios. Por isso a maioria dos CEOs vem dessas áreas.

Fale inglês! Nenhum executivo sério está atualizado se não souber ler e falar inglês.

Você precisará de competências elevadas em, principalmente, três dimensões: liderança, negócios e comunicação.

Nenhum CEO será capaz de manter-se no cargo se não souber lidar com pessoas, compreender profundamente o negócio da empresa e ter alta capacidade de comunicação. Mas, atenção: prepare-se bem! No Brasil, as pessoas enxergam o comunicador carismático como o mais apropriado para liderar. Isso é falso.

Quem deve liderar a empresa é o indivíduo que, de fato, possui consciência, conhecimento profundo e sabe as melhores práticas de liderança. É esse indivíduo que deve desenvolver sua comunicação para disputar os cargos de gestão.

Na atualidade, pessoas vazias, de má índole, despreparadas e até psicopatas se tornaram mestres na arte de persuasão, e ocupam cargos para os quais não estão preparados, causando todos os danos possíveis nas empresas. Quando essas pessoas se tornam CEOs, literalmente destroem a companhia e se beneficiam com o processo.

Use sua comunicação para desenvolver um networking relevante. Quanto mais você for conhecido por pessoas que estão dois ou três níveis hierárquicos acima do seu, melhor. Lembre-se de que ter uma grande rede de relacionamentos, mas formada de pangarés, não ajudará no seu caminho para o topo.

É por esse motivo que pessoas que estudaram desde criança em escolas de alto nível já contam com uma vantagem em relação àqueles que, por falta de recursos ou opção, cursaram escolas de menor prestígio. Afinal, é mais fácil chegar ao topo se o acionista da empresa for seu amigo de infância.

Mas isso não deve ser desculpa para você não chegar lá! Faça cursos de especialização, MBA em escolas de alto nível, e você ampliará significativamente seu networking, enquanto aprende com profundidade, é claro.

Esteja preparado, também, para uma intensa competição, que nunca termina. E se atingir o topo, aí sim você se tornará alvo de muitas pessoas, dentro e fora da empresa, que desejarão seu cargo e prestígio.

Por último, você deve se ver como um esportista de alto desempenho. Por exemplo, quando você assiste a uma partida de tênis, o jogador está sozinho em quadra. Entretanto, fora dela, ele conta com treinador, mentores, médicos, fisioterapeuta, massagista, nutricionista, psicólogo e uma infinidade de profissionais que o auxiliam a manter-se são. E, acima de tudo, uma família que o apoia, normalmente com sacrifícios.

A vida de um CEO requer o mesmo, conheço executivos que são muito bem-sucedidos em suas carreiras, mas estão doentes, emocionalmente desestabilizados e com a família destruída. Portanto, esteja preparado, ou seu sucesso poderá esmagá-lo.

A vida executiva é extremamente gratificante e interessante. Não se deixe levar pelas histórias de estresse e reveses que você ouve. Há muito mais recompensa e conquistas do que as pessoas imaginam. E você poderá fazer muito mais por pessoas, pelas empresas e pelo Brasil quanto melhor você se preparar e for um excelente CEO.

Fonte: Newtrade - 22/08/2017